Coimbra  24 de Outubro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Anadia promoveu sessão de esclarecimentos sobre reabilitação do rio Levira

23 de Julho 2021 Jornal Campeão: Anadia promoveu sessão de esclarecimentos sobre reabilitação do rio Levira

O Município de Anadia realizou a segunda sessão de esclarecimentos sobre a reabilitação e valorização ecológica do rio Levira, que decorreu na passada terça-feira (20), na Junta de Freguesia de Vilarinho do Bairro.

A iniciativa, na qual participaram cerca de 20 pessoas, contou com a presença da presidente da Câmara Municipal, Maria Teresa Cardoso; do vereador do Ambiente, Lino Pintado; do vice-presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, Jorge Pato; do presidente da Juna de Freguesia de Vilarinho do Bairro, Dinis Torres; dos técnicos da empresa que projectou a intervenção; e da Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

Segundo a Câmara de Anadia, com a iniciativa pretende-se “a reconstrução do potencial biológico das áreas afectadas no rio Levira, de modo a que seja viável a sua reutilização para outros usos ou a sua integração na paisagem de que faz parte”. Assim, as acções de restauro têm três tipos de objectivos – ecológico, técnico e paisagístico.

Pretende-se, ainda, a protecção contra os fenómenos erosivos e estabilização do substrato edáfico e a regeneração da sua capacidade produtiva; a integração das áreas no ambiente paisagístico circundante; e a regeneração dos habitats.

Esta empreitada, promovida pelos Municípios de Anadia e Oliveira do Bairro, representa um investimento de cerca de 300 mil euros, financiado pelo Fundo Ambiental.

O rio Levira abrange uma área de 929,52 ha, numa extensão total de aproximadamente 23,24 km, percorrendo o concelho de Anadia, numa extensão de 12,55 km, e o concelho de Oliveira do Bairro numa extensão de 10,70 km.

A presidente da Câmara Municipal de Anadia, Maria Teresa Cardoso, referiu “a importância” desta reabilitação, face ao estado de abandono em que o rio Levira se encontra. A autarca sublinhou que, apesar da “responsabilidade da limpeza das margens”, de acordo com a lei, ser da “competência dos proprietários confinantes”, o Município decidiu avançar para esta intervenção, “à semelhança do que já aconteceu com outras acções noutros cursos de água do concelho, nomeadamente os rios da Serra e do Cértima”.

Os técnicos responsáveis do projecto e da APA deram a conhecer aos proprietários confinantes presentes e outros interessados a intervenção que está a ser realizada, bem como os objectivos da mesma. No final, tiveram ainda a oportunidade de esclarecer algumas das dúvidas suscitadas durante a apresentação.