Coimbra  19 de Junho de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Amílcar Falcão é o novo reitor da Universidade de Coimbra

11 de Fevereiro 2019

Amílcar Falcão, até agora vice-reitor da Universidade de Coimbra, acaba de vencer a eleição para reitor, após uma segunda volta.

Catedrático da Faculdade de Farmácia da UC, o professor universitário foi director daquela Escola antes de ingressar na equipa do reitor cessante, João Gabriel Silva.

Segundo a Agência Lusa, a primeira volta registou 17 votos para Amílcar Falcão, 12 para Ernesto Costa, cinco para José Pedro Paiva e zero para Duília de Mello (apenas estiveram presentes 34 dos 35 elementos do Conselho Geral). Na segunda votação, o resultado fixou-se em 19-15, tendo Amílcar Falcão vencido Ernesto Costa.

Ao “Campeão”, logo após a vitória, o recém-eleito reitor afirmou ser “um resultado reconfortante, que legitima” a sua posição, prometendo “trabalhar com todos, de dentro e fora da UC, no sentido de a tornar maior e mais forte”.

Quanto à equipa reitoral que o irá acompanhar, Falcão assume que já tem consigo alguns dos nomes que fazem parte do seu “núcleo duro” e que será uma “equipa competente, forte e de qualidade”.

A vitória, considera o novo reitor, deveu-se “a uma candidatura forte” em que fez “o que foi pedido: um bom programa e boas audições”.

O novo reitor declarou o “compromisso com o que está no programa”, mas admitindo que o mesmo será “aberto” e com possibilidade de “afinações”.

“Não gosto de mandar, gosto de coordenar e esse será o meu papel”, afiançou, deixando, ainda, uma palavra de apreço aos “outros colegas candidatos que tiveram coragem de avançar”.

A sua tomada de posse para o quadriénio 2019-2023 terá lugar a 01 de Março, dia do 729.º aniversário da Universidade de Coimbra, altura em que será, também, apresentada a sua equipa.

A eleição do reitor da Universidade de Coimbra é feita, desde 2011, numa reunião plenária do Conselho Geral da instituição. O organismo é constituído por 35 membros: 18 representantes dos professores e investigadores, cinco representantes dos estudantes, dois representantes dos funcionários não-docentes e não-investigadores e dez personalidades de reconhecido mérito, externas à Universidade.

Investigação, inovação, atractividade e internacionalização são linhas prioritárias

Amílcar Falcão, ainda director do Instituto de Investigação interdisciplinar, referiu, numa recente entrevista ao “Campeão”, que as suas prioridades passam por “áreas que requerem atenção imediata”, dando como exemplos “a avaliação do impacto da Reprogramação do Centro 2020 (CCDRC) no futuro imediato da UC; a criação de uma via verde para a concretização de projectos conjuntos com a autarquia (Inovação, Cultura, Desporto, Empreendedorismo, Edificado, etc.) e a definição de áreas estratégicas para o futuro da investigação e da inovação na UC (tarefa complexa que deverá envolver um diálogo alargado e uma gestão conjunta com o Conselho Geral da UC)”.

Durante a campanha, o futuro reitor da Universidade de Coimbra mostrou-se a favor do fim das propinas, contra a passagem da instituição ao regime fundacional e defendeu uma revisão que permita uma maior representatividade do corpo técnico e dos estudantes nos órgãos de decisão da universidade.

Nas 76 páginas, Amílcar Falcão defendia uma intervenção mais activa da figura do reitor da Universidade de Coimbra na política nacional e apontava para uma estratégia assente no ensino, na investigação e nos desafios societários, considerando a internacionalização um quarto pilar que intersecta todos os outros.

Nesse documento, o ainda candidato propunha a criação de um ‘Observatório das Actividades Pedagógicas e de uma ‘Iniciativa para a Inovação e Melhoria da Aprendizagem’; a melhoria das condições dos estudantes de doutoramento; uma aposta em candidaturas interdisciplinares a projectos de investigação; a criação da figura do ‘Provedor do Investigador’; uma melhoria na comunicação e projecção da marca da instituição; a revisão das condições da aplicação da propina ao estudante internacional e a criação de um ‘Observatório para as Políticas Públicas’.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com