Coimbra  10 de Julho de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Águas de Coimbra limpa 14 quilómetros de condutas

10 de Janeiro 2017 Jornal Campeão: Águas de Coimbra limpa 14 quilómetros de condutas

A empresa municipal Águas de Coimbra (AC) anunciou, hoje, que está a proceder, ao longo deste mês, à limpeza das principais condutas de distribuição de água do concelho, numa extensão de 14,2 quilómetros.

Estas intervenções, segundo a AC, obrigam, em alguns casos, à interrupção do fornecimento de água aos consumidores, em períodos nocturnos, que serão avisados caso a caso, de acordo com os procedimentos habituais da empresa municipal.

A Águas de Coimbra refere que fez um levantamento das condutas que serão alvo de intervenção, com base nos relatórios das análises feitas à água e no registo de algumas queixas de clientes que detectaram alterações na água que chega às suas torneiras.

“Com estes dados, identificaram-se as condutas de maior diâmetro que situam a montante das zonas onde se registaram alterações na qualidade da água e é sobre essas grandes condutas que vão incidir as acções de higienização, abrangendo um total de 14 266 metros destas infraestruturas”, explica a AC.

Segundo a empresa, “a lavagem e desinfecção de reservatórios e tanques é já uma prática corrente, realizada anualmente, garantindo que o armazenamento de água é feito em óptimas condições”, adiantando que “no que respeita às condutas de abastecimento de água realizam-se descargas regulares, que permitem a libertação dos sólidos em suspensão”.

A Águas de Coimbra adianta que “esta prática, porém, não é suficiente para remover o chamado biofilme interior, ou seja, uma fina camada que se forma naturalmente pela acumulação de micropartículas transportadas pela água”.

“A presença de um biofilme no interior de condutas de água pode comprometer a qualidade da água e, inclusivamente, tem como consequência directa a distribuição de uma água turva, com a presença de partículas em suspensão, o que provoca um impacto negativo nos consumidores”, refere a empresa.

Relativamente à metodologia usada para a remoção do biofilme, a Águas de Coimbra diz que “vai usar a técnica que considera ser mais eficaz e com menor risco para a qualidade da água, que consiste na utilização de água e injeçcão de ar de forma descontinuada, conseguindo-se, desta forma, remover o biofilme, além de sedimentos e areias existentes nas condutas”.

A Águas de Coimbra apela “à compreensão dos consumidores para os incómodos que possam resultar dessa situação, assegurando que tudo fará para encurtar o período de intervenção na rede e as consequentes perturbações no fornecimento de água”.

“Esta é, todavia, uma acção que contribui decisivamente para a qualidade do serviço que esta empresa municipal presta aos seus clientes”, conclui a AC.