Coimbra  20 de Setembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Aeródromo de Coimbra certificado até 2025

2 de Julho 2020 Jornal Campeão: Aeródromo de Coimbra certificado até 2025

O Aeródromo Municipal Bissaya Barreto foi certificado até 30 de Junho de 2025 pela Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC).

A Câmara Municipal de Coimbra tem realizado várias obras de manutenção e melhoramento no Aeródromo, “assumindo que este é um investimento prioritário para permitir, designadamente, que esta infraestrutura aeroportuária acolha, em permanência, meios aéreos” integrados no dispositivo especial de combate a incêndios rurais (DECIR2020), ao serviço da Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANEPC).

Este ano o dispositivo é composto por um helicóptero ligeiro, à semelhança dos anos anteriores e, pela primeira vez, dois aviões anfíbios médios, que reforçam assim os meios de combate a incêndios.

O Município de Coimbra investe, anualmente, cerca de 300 000 euros nesta infraestrutura, a que acrescem os investimentos desencadeados nos últimos anos, como as operações de desobstrução e limpeza das faixas de segurança da posta e a requalificação da vedação, instalada na totalidade da delimitação do perímetro e que era aguardada desde 2003.

Nos últimos meses, a autarquia procedeu, também, à pintura da totalidade do Aeródromo; adquiriu equipamentos electrónicos, em conformidade com os requisitos regulamentares da União Europeia; e contratou um serviço para determinação do ACN/PCN (número de classificação da aeronave e número de classificação do pavimento), destinado a proporcionar uma forma de reporte da capacidade de carga dos pavimentos, para que os operadores possam aferir a possibilidade de operação das aeronaves.

Com este investimento a infraestrutura fica habilitada a receber aeronaves com massa superior a 5 700 kg, colocando-o em igualdade com a maioria dos aeródromos nacionais da rede secundária.

Outros investimentos já tinham sido realizados para fazer face à destruição causada pela passagem da tempestade Leslie, como a aquisição de uma manga de vento com as características específicas exigidas pela Organização da Aviação Civil Internacional (ICAO).

A Câmara de Coimbra assume que o próximo passo será a elaboração de um projecto para a requalificação do edifício e torre de controlo.