Coimbra  25 de Novembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Acção na Serra da Fraga em Poiares combate espécies invasoras

22 de Outubro 2020 Jornal Campeão: Acção na Serra da Fraga em Poiares combate espécies invasoras

A Câmara Municipal de Vila Nova de Poiares em parceria com a Junta de Freguesia de São Miguel de Poiares e a entidade gestora das ZIF do concelho realizaram uma acção de controlo de mimosas (ou acácias) e háqueas, junto ao Complexo das Piscinas da Fraga, numa área da comunidade local dos baldios daquela freguesia.

Esta acção, integrada na semana nacional sobre espécies invasoras, teve também como objectivo formar técnicos que operam no sector florestal, entre os quais a equipa de sapadores do Município, dotando-os do ‘know how’ necessário e apropriado para reduzir a disseminação e erradicação destas espécies invasoras.

Cada vez mais dominantes nas paisagens florestais portuguesas, em particular nas áreas que foram assoladas por incêndios florestais, nomeadamente o grande incêndio de 15 de Outubro de 2017, as acácias e as demais espécies não autóctones “representam uma ameaça para a biodiversidade, pelo que têm significativo e negativo impacto directo quer no ambiente, quer no plano socioeconómico”, referiu João Miguel Henriques.

Para o presidente da Câmara Municipal, que esteve presente no local acompanhado de João Carlos Feteira, presidente da Junta de Freguesia de São Miguel de Poiares, e de Luís Sousa, coordenador do Serviço Municipal de Protecção Civil, “esta acção é mais um importante contributo para a recuperação da mancha verde do concelho, criando condições para que a floresta se regenere com espécies autóctones”.

Recorde-se que o Município de Vila Nova de Poiares, em parceria com as juntas de freguesia e centenas de proprietários têm vindo a trabalhar em conjunto desde outubro de 2017, por forma a constituir três Zonas de Intervenção Florestal (ZIF) no concelho. Neste momento, já foram aprovadas pelo ICNF as de Arrifana e Santo André, estando em processo de conclusão a de São Miguel, que irá também abranger o território da freguesia de Lavegadas.

“A gestão profissional das ZIF’s possibilitará diminuir o risco e a severidade dos eventuais incêndios florestais e, paralelamente, melhorar o equilibro ecológico e ambiental no território, através do emparcelamento do território. Este ganho de escala trará vantagens através da diversificação da estrutura dos povoamentos florestais, bem como o aumento da rentabilidade da produção florestal, diminuindo os custos de exploração e valorização do preço dos bens produzidos»” concluiu João Miguel Henriques.