Coimbra  6 de Março de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

 “Académicas.” “chocado” com diminuição de financiamento de associações

28 de Dezembro 2020 Jornal Campeão:  “Académicas.” “chocado” com diminuição de financiamento de associações

O Movimento “Académicas.”, composto pela AAC, a AAUalg, a AAUAv, a AAUBI, a AAUE, a AAUM, a AAUTAD e a AAUMa, mostrou, através de comunicado, o seu “profundo desagrado com as alterações trazidas pela Portaria n.º 286/2020, de 14 de Dezembro”, em relação ao Programa de Apoio Estudantil do Instituto Português do Desporto e da Juventude.

Com esta alteração, o Estado diminui o que deveria ser o valor atribuído às diversas associações estudantis a título de apoio anual, provocando uma diminuição de financiamento na ordem das centenas de milhares de euros. “Tudo sem que tivesse existido qualquer momento de consulta prévia junto das associações académicas sobre a medida”, esclareceu o Movimento, acrescentando que “num cenário de claro subfinanciamento destas instituições, causado por um ano de adversidade constante, o Estado Português toma a decisão política de reforçar a precariedade das associações estudantis”.

“O Movimento ‘Académicas.’ considera incompreensível a decisão política de asfixia das associações representativas dos estudantes do Ensino Superior, as quais já em 2007 viram diminuídas a sua participação nos órgãos de gestão das Universidades. Treze anos depois, o Secretário de Estado João Paulo Rebelo, parece tentar quebrar o ímpeto do associativismo estudantil com a sua asfixia financeira, não existindo dúvidas da relevância diminuta que a tutela atribui às estruturas que representam os estudantes do ensino superior de todo o país”, afirmou ainda.

Face a esta alteração, nos próximos tempos, o Movimento levará a cabo várias formas de manifestação contra a nova Portaria, com o objectivo de reverter a alteração legislativa, “salvaguardando o justo financiamento das Associações Académicas para a prossecução plena da sua actividade nas áreas da intervenção cívica, desportiva e cultural”.