Coimbra  5 de Março de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Académica de Coimbra recebeu 300 mil euros pelos concertos dos Coldplay

21 de Dezembro 2023 Jornal Campeão: Académica de Coimbra recebeu 300 mil euros pelos concertos dos Coldplay

A promotora Everything is New pagou 300 mil euros à Associação Académica de Coimbra – Organismo Autónomo de Futebol (AAC/OAF) pela utilização do Estádio Cidade de Coimbra para os quatro concertos dos Coldplay, em Maio.

O valor recebido pela AAC/OAF, clube que milita na Liga 3, consta do relatório de gestão do Estádio Cidade de Coimbra, relativo à época desportiva 2022/2023, entregue recentemente à Câmara Municipal e consultado pela agência Lusa.

Este é o primeiro relatório que a AAC/OAF entrega ao Município em quase 20 anos de gestão daquele equipamento desportivo construído aquando do Euro 2004, cuja propriedade é da autarquia, mas que tem sido gerido pelo clube de futebol.

O documento deu “entrada muito recentemente na Câmara Municipal” e ainda “não foi alvo de análise dos serviços técnicos municipais”, referiu fonte oficial do município, salientando que, posteriormente, após ser analisado, será levado a reunião do Executivo para conhecimento dos vereadores. Os relatórios de gestão tinham sido pedidos inicialmente em Março, por iniciativa do actual Executivo.

Para os quatro concertos dos Coldplay serem realizados em Coimbra, a Câmara Municipal pagou cerca de 400 mil euros à promotora, mas ficou arredada de qualquer eventual receita pela utilização do Estádio, face ao acordo de gestão do equipamento com a AAC/OAF que está em vigor.

De acordo com a autarquia, a promotora elaborou também obras de conservação e restauro no Estádio no valor de mais de meio milhão de euros, recusando-se a disponibilizar a despesa detalhada dessa intervenção por parte da Everything is New.

Na época desportiva 2022/2023, a receita de 300 mil euros por causa dos concertos dos Coldplay representou quase metade do total da receita facturada com o Estádio (com excepção das actividades associadas ao futebol profissional).

A receita total (com excepção do futebol) situou-se nos 656 mil euros, 356 mil euros dos quais em rendas em espaços do Estádio Cidade de Coimbra.

Nas conclusões do relatório, a Direcção da AAC/OAF assinala que os concertos dos Coldplay permitiram também ao clube não ter qualquer gasto em manutenção do equipamento, já que a promotora ficou responsável por esses trabalhos. A Direcção classifica também a receita proveniente dos concertos como “muito relevante”.

Segundo o Município, quando questionado este ano pela Lusa sobre os relatórios de gestão a que a Académica estaria obrigada a apresentar anualmente ao Executivo, não havia registo de qualquer documento dessa índole na Câmara Municipal de Coimbra, tendo pedido os relatórios ao clube.

Em Junho, a Câmara de Coimbra denunciou o actual acordo de gestão do Estádio Cidade de Coimbra, que teria renovação automática no Verão de 2024.

A denúncia foi feita para se avançar com a renegociação do documento que estabelece as responsabilidades e direitos das duas instituições, com o presidente do Município, José Manuel Silva, a ter dado já a indicação de que gostaria que a autarquia tivesse um papel mais activo em relação àquele equipamento.

A autarquia entendia que os relatórios de gestão seriam também importantes para ajudar a preparar um novo acordo de utilização do Estádio Cidade de Coimbra.