Coimbra  20 de Outubro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

AAC: Segunda volta dá opção por aluno ou aluna para presidir

11 de Dezembro 2018

A segunda volta das eleições para a liderança da Associação Académica de Coimbra (AAC), na próxima semana, vai permitir a escolha de um aluno ou de uma aluna para a presidência da Direcção-Geral.

Segundo a Agência Lusa, Daniel Azenha (lista C), vencedor da primeira volta do acto eleitoral, vai ter como opositora Mariana Rodrigues (lista P).

Daniel Azenha, aluno de mestrado em Geografia Humana, e Mariana Rodrigues, aluna de Direito, são vice-presidentes da Direção-Geral cessante.

A lista C conquistou 49,98 por cento dos votos no sufrágio para a DG, sendo que o processo chegou a estar sob suspeita de irregularidades.

O presidente do Conselho Fiscal, Jorge Graça, que está a presidir à Comissão Eleitoral, explicou que a disputa entre as duas listas mais votadas para a DG ditou a contagem dos 234 votos por envelope.

A lista P necessitava de, pelo menos, mais três votos do que a lista C nesse escrutínio para assegurar a realização de segunda volta, tendo acabado por conseguir uma vantagem de cerca de 50.

De um universo de 19 395 eleitores, votaram 8 716 estudantes, tendo sido registada uma taxa de abstenção de 57,46 por cento.

O escrutínio ocorreu durante a noite de domingo (09) para segunda-feira (10), depois de se ter procedido a uma contagem quantitativa dos boletins por forma a afastar as suspeitas de irregularidades no processo.

A denominada contagem quantitativa acabou na madrugada de sábado (08) e, segundo fonte citada pela Lusa, “todas as urnas” estavam em conformidade com regras definidas pelo Conselho Fiscal.

Após ter havido suspeitas de irregularidades nas eleições para os órgãos sociais da AAC, o Conselho Fiscal decretou a substituição do presidente da Comissão Eleitoral e ordenou uma contagem quantitativa dos votos para validar o sufrágio.

O processo originou ainda um recurso da Comissão Disciplinar da AAC, a qual entendia que as eleições, face à ausência da acta inicial, deveriam ser repetidas, sem possibilidade de contagem quantitativa.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com