Coimbra  7 de Março de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

AAC preocupada com a indefinição nas avaliações e com o ‘burnout’ dos estudantes

22 de Janeiro 2021 Jornal Campeão: AAC preocupada com a indefinição nas avaliações e com o ‘burnout’ dos estudantes

Perante as recentes medidas de suspensão da actividade do ensino superior, a Associação Académica de Coimbra (AAC), demonstrou preocupação com a actual indefinição avaliativa e consequente ‘burnout’ dos estudantes no 2.º semestre.

“Compreendendo a difícil tarefa de gerir a situação actual por parte da Universidade de Coimbra (UC) e a necessidade de unidade das instituições para ultrapassar este difícil momento, a AAC pretende cooperar e ajudar a encontrar soluções para este momento difícil”, disse a Associação.

Deste modo, recomendou que:

  • Sejam realizados todos os esforços para que seja concluída toda a actividade lectiva do 1.º semestre antes do início do 2.º, assegurando a estabilidade do fio condutor pedagógico delineado e seguido por professores e estudantes no decorrer do presente ano lectivo, evitando, também, a sobrecarga lectiva dos alunos;
  • mantenha o esforço de salvaguardar a plenitude do sistema de acção social, quer no seio da UC, quer nos locais de residência oficial dos estudantes, garantindo as condições de alojamento, alimentação e os materiais necessários para a digitalização da actividade letiva, possibilitando a manutenção do bem-estar essencial de todos os estudantes neste momento;
  • seja criada uma linha de apoio psicológico específica para estudantes do ensino superior, fornecida pelo SNS24, de forma a atenuar os efeitos psicológicos gerados pela instabilidade lectiva e pelo novo confinamento.

A Associação Académica de Coimbra apelou, também, para que toda a Academia cumpra as recomendações das autoridades de saúde pública, de forma a que, o mais rapidamente possível, seja permitido voltar à normalidade no ensino superior. “Algo que a AAC considera fundamental para assegurar uma aprendizagem plena e em condições de igualdade entre todos os estudantes”, concluiu.