Coimbra  27 de Setembro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Fundação de Bissaya Barreto assume gestão das Termas do Luso

8 de Fevereiro 2017 Jornal Campeão: Fundação de Bissaya Barreto assume gestão das Termas do Luso

As termas do Luso vão passar a ser geridas pelo Grande Hotel do Luso, acordaram, hoje, a Sociedade Água do Luso (SAL), proprietária da estância termal, e a Fundação de Bissaya Barreto, dona da unidade hoteleira.

“As Termas de Luso, concessionadas à Sociedade da Água de Luso, e o Grande Hotel de Luso, da Fundação de Bissaya Barreto, acordaram que as Termas de Luso passarão a ser geridas pelo Grande Hotel de Luso, procurando-se assim disponibilizar uma oferta turística, de saúde e bem-estar, relevante e alinhada a todos que procuram o destino único do Luso-Bussaco”, pode ler-se no acordo celebrado, no Luso, Mealhada, entre as duas instituições.

Com a entrada do Grande Hotel na gestão das termas, chega ao fim um período de indefinição que durava desde Junho de 2016, altura em que a Malo Clinic, anterior entidade gestora, cedeu à Sociedade da Água de Luso a participação de 51 por cento que detinha na Malo Clinic Luso Termas & Spa, empresa criada em 2008 para revitalizar e gerir as termas do Luso.

A Malo Clinic justificou a saída ao fim de oito anos à frente da estância termal dizendo que a empresa pretendia focar-se “na sua actividade ‘core’ da Medicina Dentária”.

Tendo recuperado a totalidade de capital da Sociedade Termas do Luso, a SAL optou por entregar por “tempo indeterminado” a gestão ao vizinho Grande Hotel do Luso, propriedade da Fundação de Bissaya Barreto, que mantém em funcionamento, em Coimbra, um curso técnico de termalismo.

“Estamos certos de que o alinhamento entre as termas e o Grande Hotel vai trazer benefícios para todos os envolvidos, nomeadamente para os turistas que nos visitarem, sendo o modelo de sucesso seguido por outras estâncias termais, quer em Portugal, quer por esse mundo fora”, disse Nuno Pinto de Magalhães, administrador das Termas do Luso, na cerimónia de assinatura do acordo.

Pelo seu lado, João Diniz, presidente do Conselho de Administração do Grande Hotel de Luso, garantiu que “a nova parceria permitirá valorizar a Estância Termal de Luso, fomentando um recurso endógeno inimitável, criando assim condições para aumentar a atractividade do território Luso-Bussaco através de uma oferta integrada que dará resposta activa à crescente procura de serviços associados ao turismo de saúde e ao turismo de bem-estar”.

João Diniz esclareceu, ainda, que o Grande Hotel manterá as termas abertas para outras unidades hoteleiras da vila do Luso e da região e honrará os compromissos estabelecidos anteriormente, como é o caso da colaboração com a INATEL. “O acordo não é de exclusividade”, reforçou um administrador da SAL.

As Termas de Luso beneficiaram em 2008 de um investimento de cerca de três milhões de euros, nomeadamente através da construção de um moderno SPA, um “reposicionamento” que valeu um prémio internacional em 2015 (Espa – Innovation Awards) e um lugar entre as cinco estâncias termais com mais termalistas em Portugal nos últimos anos.

Também o Grande Hotel beneficiou em 2010 de um projecto de requalificação de dois milhões de euros. Segundo João Diniz, a unidade está actualmente a beneficiar de uma “requalificação de aspectos complementares”, que pode atingir os 2,5 milhões de euros.