Coimbra  17 de Outubro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Ceirarte quer expandir-se e abrir espaço à divulgação de novos sectores

13 de Junho 2019

A 28.ª Ceirarte está de regresso, entre 19 e 23 de Junho, prometendo ser ainda maior e melhor, com mais espaço, expositores e animação.

Já o ano passado, e segundo o presidente da Junta de Freguesia de Ceira, Fernando Santos, “houve necessidade de fazer crescer a feira e passá-la para o recinto da Junta”, uma deslocalização que, considera, ter sido “um êxito” e, por isso, repete-se o conceito este ano, esperando o autarca que o sucesso volte a estar garantido.

O aumento de artesãos e stands é uma realidade da edição de 2019, que garante a presença de 44 profissionais, face aos 32 presentes em 2018. Um crescimento que Fernando Santos pensa ficar a dever-se “à nova localização do certame, com outra visibilidade e condições; mas também porque

podem agora estar presentes todas as colectividades da freguesia, o que faz com que se abra ainda mais o certame à população e atraia mais pessoas”.

Apesar da mudança de localização, que assume o autarca “foi um risco calculado e que se transformou num verdadeiro êxito”, Fernando Santos considera este um certame de enorme importância, na medida em que se “está e quer abrir o leque a outras actividades”.

Prova disso será a presença de seis empresas comerciais da freguesia, que se estreiam no certame. Outra das novidades é a abertura do evento um dia antes do habitual, logo na quarta-feira (19) à tarde, de forma a atrair mais visitantes e participantes e aproveitar o feriado.

Para além do artesanato e dos espaços comerciais, a Ceirarte conta no seu ADN com a presença da gastronomia tradicional portuguesa, que será preparada por oito associações da freguesia, que ali ganham um contributo importante para o desenvolvimento dos seus projectos. Não faltará a chanfana, o sarrabulho, as bifanas, as pataniscas ou o arroz doce.

Ao aumentar, o recinto do certame permite agora ter um espaço dedicado às crianças, atraindo assim miúdos e graúdos, até porque o programa incluirá a festa de final de ano do Jardim de Infância e da Escola Primária. No espaço, e como habitual, serão também apresentados os trabalhos resultantes dos oito cursos sócio-culturais e de formação dinamizados ao longo do ano na freguesia.

Programa mais rico e apelativo

Durante cinco dias, a festa e a animação estão garantidas em Ceira, com um programa “recheado, todos os dias, com actuações de grupos da freguesia e também de fora”, explicou Fernando Santos, admitindo, contudo, que o orçamento mais pequeno não permitiu trazer para outros grupos mais reconhecidos.

O programa tem, então, início pelas 19h00 de quarta-feira (19) e essa noite contará com a animação musical do grupo conimbricense Kremlin. Quinta-feira (20) está reservada para o habitual convívio de pesca “Um dia no Ceira” e à noite a música estará a cargo da Banda Ginga. Na sexta-feira (21), destaque para a festa de encerramento do ano lectivo do Jardim de Infância e da Escola Primária de Ceira (16h00), seguida de um espectáculo com o mágico Telmo Melo. A Ceirarte abre, neste dia, pelas 19h00 e pela noite dentro actuam os “Sons da Serra”, o grupo “Cordas Castiças”, o “Copo & Bucha”, além de uma apresentação teatral do Psique Teatro.

Para sábado (22) está prevista a realização do tradicional Festival de Folclore, que vai para a sua 38.º edição, a partir das 21h30, com a participação de cinco grupos de vários cantos do país.

No último dia, domingo (23), além da Caminhada Solidária, o programa inclui a actuação de Sebastião Antunes e um espectáculo com os Saltimbancos do CPT de Sobral de Ceira.

Ceirarte foi pioneira e o exemplo para outros

Na apresentação do certame, hoje, o vice-presidente da Câmara de Coimbra, Carlos Cidade, sublinhou o papel importante que a Ceirarte teve no panorama das feiras realizadas, hoje, por outras juntas e uniões de freguesia do concelho.

“A Ceirarte é uma das grandes responsáveis pelo que se faz noutras freguesias, que hoje também já têm iniciativas de cariz cultural, artesanal e gastronómico”, realçou o autarca.

Carina Gomes, vereadora da Cultura da autarquia conimbricense, afirmou que a Ceirarte “não é um evento parado no tempo, vai-se reinventando e renovando, mantendo algumas componentes mais tradicionais”, e adiantou: “a Ceirarte é já um marco importante na programação cultural do Município”.

Já Fernando Santos admitiu que o seu executivo “não dá o passo maior do que a perna”, pelo que o orçamento foi o mais comedido possível – cerca de 10 000 euros (mais cerca de 10 por cento do que no ano anterior) – mas conta com um programa “mais rico” e, como tal, “espera-se o dobro dos visitantes este ano”, assim ajude o estado do tempo nesses dias.

“Este é o culminar de um ano intenso de actividade cultural na freguesia e esta uma festa que a Junta oferece a toda a população”, notou.

Como é habitual, todas as entradas no certame são livres e gratuitas.

Milha é oficialmente homologada pela Federação

A mítica Milha de Ceira, que vai na sua sexta edição, corre-se na quinta-feira (20), a partir das 17h15 e, este ano, é já uma prova homologada pela Federação Portuguesa de Atletismo. Este reconhecimento oficial eleva a prova ao pódio das milhas reconhecidas pela Federação, sendo apenas a terceira em Portugal com tal certificação.

A prova, que tem vindo a afirmar-se cada vez mais no panorama regional e, até, nacional, é por isso “muito importante para a freguesia e para a cidade de Coimbra”, revelou António Oliveira, da Secção de Atletismo do Centro Popular de Sobral de Ceira (CPSC), entidade organizadora.

“É um orgulho para nós este reconhecimento, uma mais-valia para o Centro que desenvolve a actividade e também para os atletas que participam e que vêm esta distância certificada”, adiantou.

Como é tradição, a competição contará com todos os escalões activos, desde os benjamins aos veteranos, tendo início com os atletas mais pequenos, pelas 17h15, e terminando com a prova da elite masculina, às 19h00. A prova e a sua distância já certificada tem 1 609,37 metros e como grande rosto da Milha de Ceira está o atleta da casa e campeão nacional de juvenis Rogério Amaral. O corredor atingiu já nesta época os mínimos para os Campeonatos da Europa de Juniores (3 000 metros) e será distinguido pelos “excelentes resultados alcançados”, sublinhou António Oliveira.

Os prémios para os vencedores têm valor monetário, mas ainda não foram divulgados.

As inscrições, com o custo de dois euros, estão abertas até ao dia 18 (terça-feira), podendo ser realizadas através da hiperligação http://atletismosobralcei.wix.com/6-milha-ceira.

Neste momento, a organização contabiliza já perto de 100 inscrições, contudo, afirmou, “geralmente os atletas deixam tudo para a última hora e inscrevem-se nos últimos dias antes da prova”. Essa é, pelo menos a expectativa da organização que espera “bater o recorde de participantes”, sendo que há três anos chegaram aos 310 atletas.

A “orografia difícil” foi referida pelo vice-presidente da Câmara de Coimbra, que destacou a “capacidade de transformação e a dedicação para saber ultrapassar as dificuldades e torná-las em oportunidades”.

E como o desporto e a saúde andam sempre de mãos dadas, integrada no programa do certame volta a estar a IV Caminhada Solidária “O que nos Liga”, uma organização da Liga Portuguesa Contra o Cancro, com apoio da Junta de Freguesia. A iniciativa realiza-se no domingo (23), a partir das 09h00, com partida junto ao recinto da Ceirarte, precedida de uma aula de zumba.

As inscrições podem ser realizadas na Junta de Freguesia ou na Liga Contra o Cancro e têm o custo de cinco euros.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com