Coimbra  24 de Agosto de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Queima das Fitas 2019 relembra o passado para avançar no futuro

20 de Março 2019

Serenela Luz (FMUC); Joana Veloso (FDUC); Vítor Hugo Ribeiro (FCTUC); Steven Figueira (FLUC); Miguel Raimundo (FFUC); Dora Silva (FEUC); Bárbara Pereira (FPCE) e Miguel Ramos (FCDEF), com os restantes comissários

 

“Da tradição irreverente, nasce a história do presente” é o lema deste ano da Queima das Fitas de Coimbra, que tem como base a comemoração dos 50 anos da Crise Académica e que vai decorrer de 20 de Março a 02 de Junho.

A “maior, mais prestigiada e mais antiga festa académica do país” contempla um programa vasto, agregando inúmeras actividades tradicionais na área cultural, desportiva e recreativa, mas também reinventando outras que tinham sido esquecidas.

“Esta é uma festa que eleva o nome de Coimbra no país e além-fronteiras”, afirmou Serenela Luz, comissária da Representação Institucional, adiantando que o principal objectivo desta edição é “trazer de volta o verdadeiro conceito da Queima das Fitas, mostrando que esta não se restringe apenas às ‘Noites do Parque’” e pretendendo celebrar “a irreverência dos estudantes de 69”.

A inovação é algo presente nesta edição, mas assente “nas raízes tradicionais, que são a identidade da Queima das Fitas e recuperar assim a participação activa dos estudantes”, reforçou a responsável.

A Comissão crê, por isso, ser “imprescindível fazer renascer actividades únicas que dotam a festa de uma singularidade inigualável e que fazem parte do seu ‘bilhete de identidade’”.

A Queima das Fitas continua a ser “um ícone da cidade” e, por isso, será também dada especial atenção a quem nela vive, integrando e interagindo com a população e os ex-estudantes, embora a Comissão reconheça que “esta é uma festa dos estudantes e para os estudantes, indo, por isso, ao encontro do que a comunidade estudantil pretende”.

“Queremos que os estudantes se sintam integrados e identificados com a festa”.

Algumas das novidades desta edição, que pretendem que “esta seja uma festa que se distinga de todas as outras”, passam por um visita às várias faculdades, a criação de novas parcerias que permitam “uma festa mais rica”; a continuação da aposta na política verde (com copos e loiça recicláveis, mais ecopontos e caixotes do lixo no recinto das ‘Noites do Parque); melhorar os acessos ao Parque da Canção e abri-lo, durante a tarde “para outras actividades”, levando a que “os estudantes cheguem mais cedo ao recinto, contrariando a tendência de entrarem cada vez mais tarde”; a realização de um ‘warm-up Queima das Fitas’ (24 de Abril) e de um ‘after party’ para prolongar a festa (a realizar nos Jardins da Associação Académica de Coimbra, a 07 de Maio); um concurso de bandas e de DJ; o ‘BrainMaze – Escape Room’ e uma competição de ‘Beer Pong’. Também actividades como o ‘Laser Tag’ e uma descida de carrinho de rolamentos, aberta a toda a população, serão outras das atracções deste vasto programa.

Quanto às famosas ‘Noites do Parque’, as grandes novidades passam por uma maior aposta no palco secundário, que será programado, na totalidade, pela Rádio Universidade de Coimbra e contará com “um maior orçamento para ter um melhor cartaz”, explicou Leandro Marques, secretário-geral da Queima das Fitas 2019, admitindo que aquele espaço “tem tido uma afluência de público cada vez maior”.

Além disso, a Comissão pretende dedicar uma das noites ao Fado, em parceria com a secção de Fado da AAC; bem como “apostar em artistas emergentes e que sejam novidades no cartaz da Queima, além da realização de espectáculos inovadores”, adiantou Miguel Raimundo, responsável por essa vertente, e notando que será um programa “único, autêntico, versátil e abrangente, que vá ao encontro dos gostos dos estudantes e do público”.

Do programa constam, como habitualmente: o Chá Dançante (08 de Maio); o Chá das 5 (08 de Maio); a Venda da Pasta e da Verbena (03 de Maio); Baile de Gala (04 de Maio); a Récita das Faculdades (10 de Abril); a tradicional Serenata Monumental (02 de Maio), seguida pela tradição há muito esquecida da Ceia dos Boémios (na cantina dos grelhados); a Queima do Grelo e o cortejo (05 de Maio) e, também, a Bênção das Pastas (01 e 02 de Junho).

Os bilhetes gerais custam, tal como no ano anterior, 50 euros, sendo que durante o período de venda antecipada o valor será de 40 euros. Nesta edição, a Comissão voltou a apostar no ‘bilhete bolseiro’ (a 35 ou 40 euros).

A organização equaciona, ainda, a criação de um ‘pack de fim-de-semana’, para dar oportunidade a ex-estudantes a voltarem a reviver as noites de Queima de Coimbra. Os bilhetes estarão à venda em vários locais para facilitar a sua compra.

O orçamento da edição de 2019 da Queima das Fitas de Coimbra é idêntico aos anos anteriores, admitindo o secretário-geral que o objectivo “passa sempre por tentar baixar esse valor”, não desvendado o investimento total.

Cartaz Queima 2019

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com