Coimbra  22 de Agosto de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

ISEC cria “Fikalab” para transformar modelo de ensino

8 de Abril 2019

O Instituto Superior de Engenharia de Coimbra (ISEC), em parceria com a Critical Software, vai criar um “Fikalab”, um laboratório de criatividade que será o primeiro passo da instituição para “a transformação total” do seu modelo de ensino.

O “Fikalab ISEC” pretende ser um “gatilho para digitalizar o seu ensino, transformar conteúdos, espaços e métodos de aprendizagem”, querendo transformar por completo o modelo de ensino da instituição, refere o Instituto Superior de Engenharia de Coimbra.

Com as instalações a serem inauguradas na quarta-feira, o “Fikalab ISEC” vai ser montado e gerido pela tecnológica Critical Software, sediada em Coimbra e que aplicou o conceito de “Fikalab” no seio da sua própria empresa, esclarece.

“Concebido e criado pela primeira vez na sede desta empresa de software em Coimbra, em 2016, o ‘Fikalab’ pretendeu desde o início ser um espaço de estímulo à criatividade dos trabalhadores da Critical, dentro ou fora do seu horário de trabalho, no qual todos têm luz verde para criar”, sublinha o ISEC.

Naquela escola de engenharia, o “Fikalab” oferece-se como um espaço onde se pode ir aproveitar o intervalo das aulas, “beber um café, sentar no sofá, comer alguma coisa e ficar a falar com colegas”, ao mesmo tempo que são postos “equipamentos e materiais à disposição para que se possam desenvolver projectos”.

“Os equipamentos vão desde bancadas de trabalho, multímetros, osciloscópio, estação de soldadura, até computadores, placas controladoras diversas, impressora 3D, monitores, passando por sofás, mesas de reuniões”, salienta o ISEC, explicando que “a ideia é a de que os estudantes se comecem a sentir mais motivados, mais inspirados, com vontade de exercitar competências novas em áreas que podem ser diferentes daquelas que lhes estão a ser ministradas nas aulas”.

Para o presidente do ISEC, Mário Velindro, o “Fikalab ISEC” segue a vontade da escola de querer “revolucionar o ensino de todos os cursos, digitalizando-o no limite do possível, actualizando conteúdos e transformando os próprios espaços onde se aprende e se faz a investigação”.

“O tipo de aprendizagem que queremos proporcionar aos nossos estudantes, bem como a sua ligação mais intensa à investigação, não cabe em modelos de ensino passivos: esta parceria com a Critical Software é o sinal de partida para este novo ciclo do ensino da engenharia em Portugal”, realça Mário Velindro.

Nesse sentido, o “Fikalab” permite orientar o ensino focado e baseado em projectos, em que os alunos possam aprender fazendo.

Para o presidente do ISEC, “o que é essencial é que, tanto nas aulas, como nos espaços do tipo ‘Fikalab’ que se irão multiplicar no Instituto, o ensino dos cursos de engenharia favoreça as dinâmicas individuais e a aprendizagem activa, colocando o estudante no centro do processo”, estimulando ao mesmo tempo competências não técnicas, como a criatividade, a capacidade de comunicar ou o trabalho em equipa.

Na Critical Software, o “Fikalab” permite aos trabalhadores da empresa desligar da rotina do trabalho e aplicar algum do seu horário em experiências e testes de tecnologias, sem qualquer intuito comercial.

O laboratório, que vai buscar o seu nome à palavra sueca ‘fika’ (pausa para café), tem um espaço próprio na sede da Critical, dando oportunidade aos funcionários para realizarem experiências e desenvolverem ideias não relacionadas com o trabalho, dentro ou fora do horário de cada um.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com