Coimbra  22 de Agosto de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Góis deixa de captar água do rio Ceira devido às cinzas dos incêndios

28 de Dezembro 2017

As enxurradas causadas pelo mau tempo, que levaram terra e cinzas dos incêndios para o rio Ceira, obrigaram a Câmara de Góis a deixar de captar água daquele curso e a comprar água de fora.

“Hoje [ontem] não foi possível beber água da nossa captação e tivemos de comprar às Águas do Centro Litoral”, disse à agência Lusa a presidente da Câmara de Góis, Lurdes Castanheira, referindo que o rio Ceira, afluente do Mondego, “deixou de estar em condições para se recolher água”.

A água daquele rio tornou-se escura, face à chuva que arrastou cinzas dos incêndios e terra das encostas, explanou.

“Se a situação ficar estável e não houver grande precipitação, será possível retomar a captação na quinta-feira [hoje]”, avançou Lurdes Castanheira, que espera ter um Inverno “muito complicado”, na sequência dos incêndios que afectaram o concelho.

Além da captação da água ter sido suspensa, o Município registou, de terça para quarta-feira, uma noite cheia de “constrangimentos”, tendo procedido à remoção de árvores e limpeza de estradas.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com